O antes…

Há quatro anos me decepcionei de tal forma com o mundo e as pessoas que decidi não mais viver. Isso significava não apenas morrer, mas morrer viva – o que é muito pior, acreditem! Morrer seria bem mais fácil.

Tenho um filho adolescente, 13 anos, portador da Síndrome de Lennox-Gastaut. Não é a mais rara, mas cada caso difere dos demais e dificulta bastante tratamento, estimulação e educação em geral. Desde o diagnóstico fomos, eu e ele, tão pouco respeitados como cidadãos que passei a duvidar que fôssemos de fato. E não tenho vergonha em admitir que cansei. A nossa luta era inglória e eu nunca fui a heroína que ele precisava.  E fui me recolhendo aos poucos da vida.

Quando mudei de casa, há um ano e meio, surgiu a possibilidade de ter acesso ao mundo virtual novamente. Assim cheguei ao Rubens Filho, que havia desembarcado de mala e cuia há poucos meses de volta a Pelotas e, mesmo sem querer, me apresentou um caminho de volta ao mundo dos vivos.

Ele superou o meu gênio – que é ruim mesmo, não tenham dúvidas -, minhas broncas e crises de baixa autoestima.  Não nos conhecíamos pessoalmente e o único critério de avaliação a meu respeito era meu texto.  Nunca tinha escrito – ou pensando em escrever – sobre cinema. Mas como ele precisava de um colunista na área, acabei eu mesma me oferecendo para a tarefa.

Acertamos tudo numa troca de e-mails entre os dias 22 e 23 de agosto de 2008. Como seria a coluna, número de filmes comentados, dia da semana em que seria publicada. No dia 28 enviei os três primeiros comentários, ele gostou, publicou e passei a ser colunista/comentarista/crítica de cinema do Blog Amigos de Pelotas, na seção DVD Legal.

Mas nem tudo foram flores. Cometi muitos erros, gafes, e cheguei a ser quase ‘desancada’ por alguns comentaristas anônimos. Fui aprendendo, melhorando e entendendo cada dia um pouquinho mais de cinema.

Até o final de 2008, escrevi todas as semanas com exceção da última de dezembro – era meu aniversário e pedi uma folga. Em 2009 mantive o ritmo até a crise econômica abalar minhas finanças e precisar reajustar meu orçamento cortando o que era mais supérfluo. Como a internet não gerava renda, foi a primeira da lista.

Foram seis meses de ausência e assim que consegui colocar ordem no meu “galinheiro”, escrevi ao Rubens, que novamente abriu as portas do AP para mim. A feitura do livro do AP já estava em andamento, e só tive contato mais de perto no dia do lançamento (07/11).

Nessa nova volta, não me bastou apenas o mundo virtual. Comecei a sentir vontade de respirar, de caminhar pelas ruas de Pelotas de novo, de fazer coisas só minhas e apostar em sonhos meus. Deve ter sido influência da primavera… Comecei a me preparar, lentamente, para voltar a viver.

Foi aí que Rubens escreveu falando sobre o lançamento do livro do AP durante a Feira do Livro, já com data, horário, e dizendo que o livro traria textos meus. Num segundo e-mail já falava na sessão de autógrafos e o número de convites que cabia a cada autor. Foi ficando complicado convidar amigos para um evento em que não pretendia estar presente. Decidi então, que seria esse o momento “oficial” da minha volta à vida. E assim foi…

EM TEMPO: Minha amiga Alessandra, generosa como sempre, distribuiu todos os convites para mim. Não fosse ela, ficaria apenas nos convites virtuais. Já agradeci algumas vezes, mas nunca é demais. Valeu, Alê!

Anúncios

Sobre Niara de Oliveira

ardida como pimenta com limão! marginal, chaaaaaaata, comunista, libertária, biscate feminista, amante do cinema, "meio intelectual meio de esquerda", xavante, mãe do Calvin, gaúcha de Satolep, avulsa no mundo. Ver todos os artigos de Niara de Oliveira

5 respostas para “O antes…

  • tato ribeiro

    tendo em ter comigo os tortos, os loucos, os plegicos todos, os que roncam, os e as que realmente se parecem feios. Juntos, eu e meus pares, meio que numa fala melodiosa, atravessamos os monstros, sorrimos com os dentes que nos restam, e pintamos de cor clara, a camisola, cor de nada, dum próximo e conhecido monstro.
    convoco toda essa geral, a abraçar ela que da morte sabe em vida o absurdo de presenseá-la..
    poderosa, sim..
    tato ribeiro

  • Alê

    Dizer TODOS é forçar demais… não foram TODOS, mas me esforcei… e tentei ligar pros que não consegui entregar… grande abraço!!!!!

  • Margarete

    PARABÉNS NIARA!
    VOCÊ SABE Q SOU SUA FÃ DE CARTEIRINHA!
    PARABÉNS PELA PRIMIRA NOITE DO RESTO DE SUA VIDA!
    ADORO SEUS TEXTOS E SEU HUMOR COM PIMENTEA !!!
    BJS! SUCESSO!!!

  • Um ano de vida!!! « Pimenta com Limão

    […] coloquei o Pimenta com Limão no ar com esses três posts: “Meu blog pessoal“, “O antes…” e “A primeira noite do resto da minha vida foi muito boa“. Para quem achava que […]

  • E lá se vão dois anos… « Pimenta com Limão

    […] esse espaço, conto nesses três primeiros posts a história toda: “Meu blog pessoal“, “O antes…” e “A primeira noite do resto da minha vida foi muito boa“. Quando escrevi esses textos não […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: