Arquivo da categoria: trabalhadores

Entendendo a mais valia

.
Sacou o que é a mais valia e esse papo de exploração e opressão de classe que os comunistas insistem em repetir?

.


O mais baixo da escala do caráter

.
Antônio Arles
Arlesophia


O Latuff mais uma vez arrebentou. Conseguiu traduzir através de sua arte o mau caratismo do senhor Boris, aquele que é, para todos nós, uma vergonha. Boris é uma figura extremamente preconceituosa, o que fica evidente em seus comentários nos telejornais que apresenta e apresentou. Talvez seja uma das faces mais visíveis desse tipo preconceito existente nas redações por todo país. Agora, mesmo para os que não viam tão evidentemente tal comportamento, a máscara caiu de uma vez. No entanto, o caso Boris é apenas a parte visível deste comportamento. Enquanto tivermos a manutenção dos oligopólios midiáticos teremos sempre esse tipo de preconceito conduzindo a forma de “ver o mundo” traduzida pelas reportagens e opiniões emitidas através desses meios, mesmo que essas sejam revestidas pelos mitos de isenção e imparcialidade.


Brigadianos gaúchos entram em estado de greve

Em Assembléia Geral de soldados, sargentos, tenentes e subtenentes da Brigada Militar, realizada na manhã desta terça-feira (25), categoria definiu por estado de greve. Eles ameaçam entrar em greve caso projeto da governadora seja aprovado na Assembléia Legislativa (AL)
.
Bianca Costa
Agência Chasque
.
Porto Alegre – Cerca de 3 mil soldados, sargentos, tenentes e subtenentes da Brigada Militar entraram em estado permanente de greve. A Assembléia Geral da categoria ocorreu na manhã desta terça-feira (25), na Assembléia Legislativa do RS. A categoria rejeitou reajuste salarial que define, entre outros, o piso de R$ 1.207 e eleva a contribuição previdenciária de 7% para 11%.

Conforme o presidente da Associação dos Cabos e Soldados da Brigada Militar, Leonel Lucas, os brigadianos podem paralisar as atividades caso o pacote do governo estadual seja aprovado na Assembléia Legislativa.

“Na assembléia, nós rejeitamos o pacote que a governadora mandou para a Assembléia Legislativa, e informamos a todos os deputados presentes, que se votassem o projeto, votassem contra o pacote da Yeda. Pedimos ao líder do governo para retirar o projeto para melhorar esse projeto que não vem a beneficiar os brigadianos. Se for aprovado o projeto do jeito que está, nós vamos chamar uma nova assembléia e aí vamos deliberar sobre a greve ou não”, afirma.

A Associação pede que o aumento seja dado a todos os policiais militares de forma linear. Eles pedem que os 19% de reajuste seja dado aos soldados e coronéis, o que representa a paridade de salários.

Veja o mesmo fato, noticiado de outra forma, em Zero Hora:

“Sua Segurança: greve, palavra proibida na BM” – Por implicar cadeia, sanções disciplinares e prejuízos na carreira, militares dificilmente irão paralisar