STF terá canal no Twitter

Rodrigo Ghedin
.
(Parte d) Aquela visão de gente velha, fora de sintonia com tecnologia, e sem intimidade alguma com as últimas novidades da Internet que o Judiciário nacional conserva, pelo menos no que toca ao Supremo Tribunal Federal, o STF, está mudando.

O órgão máximo do nosso Judiciário, que já mantém um canal no YouTube e disponibiliza notícias via RSS, estreará, no dia 1º de dezembro, um perfil oficial no Twitter, o serviço de microblogging mais famoso e utilizado do mundo.

Ainda não se sabe qual o nome de usuário que o STF usará no Twitter, mas, pelo anúncio, já dá para ter uma ideia do tipo de conteúdo que será veiculado por lá. Aparentemente, serão posts bem sucintos (num microblog… d’oh!) sobre o dia a dia no Tribunal, com especial atenção aos julgamentos mais importantes da Casa:

Seguindo o Twitter do STF, os usuários terão acesso, em primeira mão, aos itens mais relevantes das agendas do presidente da Corte e dos demais ministros, aos destaques das pautas de julgamento do Plenário, além de poder acompanhar, em tempo real, flashes dos julgamentos mais importantes em andamento na Casa, seja nas Turmas ou no próprio Plenário.

A mesma nota expõe, com uma didática de dar inveja a muito especialista em mídia social por aí, o que é o Twitter, o porquê de seu sucesso, e o que motivou o STF a usá-lo como mais um meio de comunicação com a população brasileira. Uma das razões, aliás, é a possibilidade de uso da rede em dispositivos móveis – o que está bem longe da maioria esmagadora dos brasileiros, mas relevemos.

De qualquer maneira, são notáveis o esforço e a preocupação do STF afim de manter a população informada sobre o que acontece ali. Cabe a nós, que já ignoramos solenemente a TV Justiça (né?), ficarmos atentos ao que acontece no Supremo via mídias sociais, pois é de lá que decisões importantes, que afetam as vidas de todos, saem. Também vão ser divulgadas, regularmente, as ações que chegam à Corte diariamente e as decisões e despachos dos ministros nos principais processos em tramitação na Corte. O Plenário Virtual, onde os ministros decidem a aplicação da repercussão geral nos temas em debate na Corte, também poderá será acompanhado por meio dessa nova ferramenta social.

[Fonte: Jorge Araújo – Direito e Trabalho]

Nota: Se o ministro relator do caso Battisti, Cezar Peluso, teve dificuldades em resumir a decisão de seus colegas para publicá-la, imagina o que fará – o que não fará, melhor dizendo – em apenas 140 caracteres?!

Anúncios

Sobre Niara de Oliveira

ardida como pimenta com limão! marginal, chaaaaaaata, comunista, libertária, biscate feminista, amante do cinema, "meio intelectual meio de esquerda", xavante, mãe do Calvin, gaúcha de Satolep, avulsa no mundo. Ver todos os artigos de Niara de Oliveira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: